sábado, 11 de dezembro de 2010

NATAL [… Menino]!

Menino peço -Te a graça,
De não seres sempre menino,
Em criança tudo passa,
Mas não é esse o destino.

Tantas eras já passadas,
Menino Jesus é Teu nome,
Tantas esperanças terminadas,
Tantas crianças com fome.

Jesus não tenho devoção,
Para Te pedir perdão,
Das culpas em que me afundo.

Mas uma coisa eu Te digo,
Que seja para meu castigo,
Mas Divino salva o Mundo!

Quinta do Anjo, 10 de Dezembro de 2010

Carlos Manuel Fernandes Gonçalves

10 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Carlos, poeta querido, que soneto magnífico! Fiquei emocionada ao te ler.

Vc, sim, é poeta de verdade! ;)
Parabéns!

Beijos

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos

Um pedido que é uma oração...não tenho mais palavras.

Deixo o meu carinho e um beijinho
Sonhadora

Vivian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
intervalo disse...

Uma bela prece saiu do coração de um ser encantador.Adorei!Carlos,beijoss com carinho no teu fim de tarde e uma semana de alegrias.

Linda Simões disse...

Carlos,

já disse que poetas são mesmo assim...As palavras que queremos dizer ficam perfeitas e com outras cores quando ditas por quem sabe!

Um beijinho,


Linda Simões

Lusa Vilar disse...

Carlos,

Neste poema encontro a tua essência. Um ser digno da imagem e semelhança de Deus.Parabéns, Feliz Natal e um Ano Novo de paz e Luz, para você e sua família.

PS
Feliz por encontrar por aqui a minha amiga e conterrânea, Linda Simões.

Lusa Vilar disse...

Carlos,

Neste poema encontro a tua essência. Um ser digno da imagem e semelhança de Deus.Parabéns, Feliz Natal e um Ano Novo de paz e Luz, para você e sua família.

PS
Feliz por encontrar por aqui a minha amiga e conterrânea, Linda Simões.

MeuSom disse...

Querido amigo!

Vim reler o teu poema de Natal! A tua prece que é também a de todos nós, apenas escrita pelo coração de quem o sabe fazer.
E porque aprecio imenso o teu trabalho e também porque te tenho carinho, convido-te a levantar, sem regras, os selos que estão abaixo do presépio, que dignificam trabalhos e pessoas.
É o meu presente de Natal, num beijo e abraço.
Feliz Natal, Carlos.

José María Souza Costa disse...

Belissimo soneto. Parabens. Passei lendo. e por isso estou lhe convidando a visitar o meu blogue e se possivel seguirmos juntos por eles. Estarei grato esperando por voce lá
Abraços de verdade

rosa disse...

Gosto imenso de ler seus poemas cada um melhor que o outro.
Meus parabéns e continue com suas lindas poesias que encantam.
Feliz Ano Novo .Tudo de bom que pode existir seja também seu
Quási todos os dias o visito, muito o admiro.Bom Ano !Cheio das maiores felicidades