sexta-feira, 16 de outubro de 2009

D E S I L U S Ã O

Sim,
Dizias gostar de mim.
Do meu ser,
De me ler,
Da serra
Da minha terra…

Eu,
Sentia-me teu.
Esquecia a solidão
Nas ardências da paixão,
Braseiro a arder
No entardecer.

Mas…

Não,
É tudo ilusão.
Gostas da pureza
Da minha natureza,
Deixo-te o lamento
No grito do vento!


Quinta do Anjo, 16 de Outubro de 2009

Carlos Manuel Fernandes Gonçalves

14 comentários:

Fatima disse...

Ah Carlos!
Tão bonito, mas tão tristinho!
Quem será essa feia que te fez sofrer?Rsrsrsrsrr(Posso brincar com vc não posso?)
Bjs querido.

Graça Pereira disse...

A nossa vida é um livro carmesim
Um livro de palavras misteriosas...
Que o tempo, como quem desfolha rosas
folheia do princípio até ao fim.


Palpita nessas folhas de cetim
O frémito das horas dolorosas.
Eu desejo-te,esperanças venturosas
Rescendentes a cravo e a jasmim.

Um beijo carinhoso.
Graça

Carmo disse...

Carlos será mesmo ilusão? Porque se gosta de ti, da tua pureza e da tua natureza, gosta certamente da serra e da tua terra.

Beijinhos

Carmo

Vivian disse...

...desilusão
desilusão...

cinzas talvez de um amor,
que queimava na paixão...

com esta cara linda e este
coração de poesia,

logo logo terás outra
te banhando na alegria...

fiz 'versinho' pra você ficar
feliz...rssss


beijos mil, desde o Brasil!

Graça disse...

Querido Carlos,

a vida é feita de decepções, mas continua... não lamentes o "diz que disse"_____________________ se serve para algo, eu gosto de ti :).


Beijo imenso de carinho, para o teu fim de semana

Vivian disse...

...boungiorno belo 'vagabondo'!

baci...

Quando la gente dorme
scendo giù
maglione sulle spalle
nella notte blu

nel cuore una chitarra
nella mente cose strane
e sul mio volto un
po' d'ingenuità

vagabondo vagabondo
qualche santo mi guiderà
ho venduto le mie scarpe
per un miglio di liberta
da soli non si vive
senza amore non morirò
vagabondo sto sognando
delirando

le gambe van da sole
ah ah ah
la strada sembra un fiume
chissà dove andrà
neppure tu ragazza
sai fermare la mia corsa
negli occhi tuoi
non c'e' sincerità

vagabondo vagabondo
qualche santo mi guiderà
ho venduto le mie scarpe
per un miglio di liberta
da soli non si vive
senza amore non morirò
vagabondo sto sognando
delirando

vagabondo vagabondo
qualche santo mi guiderà
ho venduto le mie scarpe
per un miglio di liberta
da soli non si vive
senza amore non morirò
vagabondo sto sognando
delirando.

Nicola Di Bari

sozinho não se vive
sem amor eu não morrerei
vagabundo estou sonhando
delirandooooooo...

canta con me, canta belo mio!

Acácio Moreira disse...

Olá Carlos! Bom dia
Vejo que se há mestre na arte de fazer fotografia; Outros há que melhor fazem poesia.

Não conhecia esta tua faceta, mas reconheço que fiquei surpreendido.
És deveras romântico na tua escrita,
A provar isso está a força feminina que não se cansa de ilugiar e comentar, a tua arte de bem fazeres poesia.
Parabéns gostei imenso dos teus temas, vou continuar a passar por aqui.
Abraços e beijinhos a todos

Acácio

intervalo disse...

Carlos,

volto em outra oportunidade,deixo um cheirinho de flores do campo depois da chuva,as palavras estão silenciosas acho que tou na fase ficar dentro de mim afff,confesso não gosto dessas fases...é uma sensação estranha até mais...reencontro-me breve,obrigada por estar sempre presente.beijos.Lia...

AFRICA EM POESIA disse...

´passo para dizer que poesia bonita.
Um beijo


Ser Poeta

Ser poeta...
É ser louco...
É ser sonhador...
É saber dar...

Dar e dar-se...
Na poesia...
Na vida...
No mundo...
E saber que o seu poema...

Foi lido...
Foi sentido...
E, foi tantas vezes...
Partilhado!...

Partilhado...
Com dor...
Com alegria...
Com amor...

E o poeta sente...
Que se o fez...
Não foi para si...
Foi para o mundo...

E nessa partilha...
Entende que não mais...
Voltará a estar só!...

LILI LARANJO

Vivian disse...

...Desilusão.

Faço deste sentimento um portal
para que minhas melhores
percepções se agucem a
ponto de não me deixar
perder em meio às tristezas
corriqueiras.

Desilusão...Desilusão...
Danço eu dança você,
a dança da solidão.

Beijos brasileiros procê!

Tenha uma linda semana!

Camila Fontenele disse...

Ah desilusão!
Essa me lembra muitas coisas em minha vida!
A expectativa alheia, o amor não alcançado...
Mais agradeço a "ela", por ter sentido os batimentos mais fortes...

Beijo grande!

Fatima disse...

Carlos,
um beija-flor madou um recado para vc:

Benke

Milton Nascimento e Márcio Borges

Beija-flor me chamou: olha
Lua branca chegou na hora
O Beija-Mar me deu prova:
Uma estrela bem nova
Na luminária da mata
Força que vem e renova

Beija-Flor de amor me leva
Como o vento levou a folha

Minha Mamãe soberana
Minha Floresta de jóia
Tu que dás brilho na sombra
Brilhas também lá na praia

Beija-Flor me mandou embora
Trabalhar e abrir os olhos

Estrela d’Água me molha
Tudo que ama e chora
Some na curva do rio
Tudo é dentro e fora
Minha Floresta de jóia

Tem a água
tem a água
tem aquela imensidão
tem sombra da Floresta
tem a luz do coração
Bem-querer!!!

Bjs querido.

Confesso disse...

Paixões ardentes são bem vindas a qualquer horário do dia... Se não existe mais, deixe que vá.

Foi intenso enquanto durou...


Beijos veramente reais...

Clara Margaça disse...

São agora as folhas amarelecidas
pelo tempo,
os lençóis que os envolvem;
o calor que só o Outono traz
não se compara ao estado febril
que emana do único corpo que são,
por instantes.
Têm diante de si
a mais bela aguarela,
única,
pincelada com sentimentos,
em numerosos tons:
o amor.

Um beijo,
Clara